sábado, 20 de agosto de 2011

A Inevitabilidade dos Conhecimentos Supérfluos


Sonhei. Parecia que acontecia no passado pelas pessoas que se encontravam comigo no início, mais tarde percebi que era uma mistura, só possível em sonhos.
Não havia realmente nenhum amigo neste sonho, só pessoas que fui conhecendo ao longo da vida, muitos de pequena importância, ou simplesmente pessoas que deixaram de fazer parte dos meus pensamentos. No sonho parecia que fazia sentido aquelas pessoas todas estarem juntas, só o que não fazia sentido era o porquê de eu me encontrar ali no meio, para alem de ser o elemento em comum entre eles.
Não vou contar o sonho, nem vou dizer nomes. Posso dizer que nos encontrávamos numa zona abandonada, encostados e sentados nos muros, todos a interagir como se fosse uma festa sem música, era de noite e eu andava por ali perdido.
Ao longo do sonho vai crescendo dentro de mim uma sensação de mal estar que eu tento combater, ingloriamente, mudando constantemente de pessoa com quem falo. Só me apetece ir embora, mas ninguém mostra vontade disso, e eu começo a ficar enjoado.
Não eram mais de vinte pessoas, por isso quando eu elevo a voz a avisar que me vou embora, todos ficam em silêncio a olhar, até que começam a questionar essa minha decisão. Eu começo a olhar um a um, e percebo o que realmente quero dizer, e digo-o, numa voz forte e cortante “porque vocês são todos pessoas horríveis e metem-me nojo”. Viro as costas sem o mínimo interesse na reacção provocada. Todo o enjoo e mal estar desaparecem instantaneamente, e eu apenas continuo a andar, com um sorriso na cara e a sentir-me completamente feliz.

P.S. Agora todos os meus posts vão ter títulos parvos. Se quiserem podem sugerir títulos do género para eu escrever sobre.  

3 comentários:

ana disse...

Já tive um sonho parecido. Escreve sobre "A Tortura da Cadeira Eléctrica" haha x)

Abigail disse...

gostei do que escreves!

David Pires disse...

ana, a tortura da cadeira electrica é uma coisa muito especifica, tens de me dar algo mais abstrato.

Abigail, Obrigado :)