sábado, 21 de maio de 2011

Sol

    Ao percorrer as ruas de uma cidade durante o dia vamos mudando do lado da rua constantemente, pelo menos eu vou, por vezes procuro o Sol, outras vezes apenas fujo dele, muitas vezes há quase uma reacção de instinto para procurar a sombra. Como procuramos o Sol em meses como Abril ou Outubro, mas em Julho e Agosto estamos sempre a fugir dele, quando uma sombra se torna um refugio, um pequeno pilar pode-me fazer abrandar, só para sentir aquele fresco mais uns segundos. O Sol queremos aproveitar sentados com uma pequena brisa de meia época a envolver-nos. Ou sentir o seu calor quando passamos por um cruzamento, e o Sol, ao se pôr ilumina apenas as ruas que lhe são paralelas, levamos com aquele laranja na cara, fechamos os olhos e esquecemos um bocadinho tudo, enquanto os ossos aquecem. O ser humano rege a sua vida pelo Sol, precisamos dele, gostamos dele, fascina-nos. 

6 comentários:

ana disse...

Também gosto da Lua, mas essa só ilumina.

David Pires disse...

A Lua é diferente. A Lua muda. :)

aloe vera disse...

não é à toa que várias religiões antigas tinham o Sol como deus supremo ;)
pessoalmente prefiro a inconstância da lua, com as suas fases, a sua luz azulada, o seu magnetismo, e os mitos e lendas a ela associados.

David Pires disse...

Podemos comprar a lua a uma gato e o sol a um cão. Cada um tem as suas coisas boas, mas há sempre pessoas que gostam mais de um do que o outro. :)

Xana disse...

(especialmente) o final está magnífico :)

David Pires disse...

Obrigado Xana :)