segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Pile of Stuff

Não devia andar a escrever a esta hora, normalmente não sai coisa boa, mas olhei à milha volta e vi toda a tralha que tenho no meu quarto. Tenho muita tralha. Cada vez isto está mais cheio, e eu não me preocupava muito, porque o quarto até é pequeno, mas eu tenho três quartos. Três quartos cheios de coisas e nem duas décadas de vida tenho. 
Quando quiser fazer alguma coisa da minha vida sem ser estar parado no mesmo sitio, não saberei o que fazer com estas coisas todas. Vou ter de me livrar disto tudo? Se calhar arranjo um contentor e guardo tudo lá dentro, porque eu não me consigo livrar disto, eu sou um acumulador, adoro todo o que está para aqui empilhado. Eu nem as caixas cilíndricas dos rolos fotográficos deito fora, está tudo ali.
Se não fosse pela minha mãe eu se calhar ainda tinha os meus brinquedos todos. Para além de adorar brinquedos, não consigo deitar nada fora, não me lembro de ter deitado nada fora por iniciativa própria (sem ser o lixo, e mesmo assim guardo os frascos dos iogurtes).
Estou tramado, mas eu adoro as minhas coisas. 

2 comentários:

humming disse...

Sou exactamente o oposto. Tenho uma caixa onde meto tralhas (lembranças que vão desde cartas da infância até uma garrafa de água de um jantar de amigos há poucos anos), guardo os postais e as cartas, livros e cadernos, cds e dvds. O resto é lixo.

David Pires disse...

Também tenho uma caixa dessas, para não perder o que realmente gosto no meio resto da tralha toda. Mas eu consigo dar importância a demasiadas coisas...