sábado, 10 de setembro de 2011

A Cultivação da Genialidade


Quem é que já teve a sensação que não está a fazer nada pelo futuro? Eu não penso muito no futuro (se calhar faço mal), mas para quê pensar nele? Sei lá se amanhã não engravido alguém ou dá-me um ataque de loucura e mato o vizinho que grita “pouco barulho!” cada vez que ouve um rato no corredor (e ainda se ouve a mulher “mas estás a gritar porquê?!”). Bom, é por isso que não penso muito no futuro. Tenho alguns planos escritos para ai num papel qualquer (espero que ninguém o encontre porque é a resposta para ter um futuro brilhante), tenho umas ideias de como gostaria que a coisa acontecesse (não vão acontecer), mas vocês já sabem porque é que não vale a pena.
Outra coisa que se faz muito por ai (e não estou a falar, obviamente, de mim) é esperar que o charme te salve a vida. Muito simples, até és uma pessoa simpática, falas bem com as pessoas, o teu sorriso até é bem aceite, achas que um dia alguém se vai lembrar de ti quando for preciso alguém para uma coisa importante a ganhar uma pipa de massa. Tu até nem és feio. Eles vão ter contigo, não há preocupação nenhuma.
O mundo via ter contigo. Estás tu em casa, a ver... O Malato (nada contra o Malato, eu até vejo o Malato. Mas isto não é sobre mim!), e do nada alguém te bate à porta, e é a NASA, finalmente eles perceberam o génio que és, e estão a querer a tua sabedoria (por isso é que estavas a ver o Malato e a dizer para ti mesmo que se fosses ao programa conseguias ir até ao fim sem errar e sem passar um única vez e levavas 100 mil euros para casa na boa, só não o fazes porque há pessoas que precisam mais, tu afinal és um génio). Se não é a NASA é o Google, é o Facebook, é a Microsoft ou a Apple. Se isto não for o teu género se cena, é uma galeria em Nova Iorque, é a CERN, é a Pixar ou os estúdios da Universal (que para além de te querem para trabalhar com eles, querem fazer um filme sobre a tua vida). Estás safo, sempre soubeste que isto ia acontecer, até te sentes um bocadinho ofendido por ainda não ter acontecido, até te sentes tentado a recusar só para mostrar que não és assim tão fácil e não te vendes barato, afinal, és um génio.

6 comentários:

ana disse...

Este texto está deveras cómico x)

David Pires disse...

ana, Obrigado (se isso é bom, claro).

ana disse...

É bom sim senhora x) Acho piada à forma como escreves. Parece que tens pressa de dizeres tudo e quase que tropeças no que escreves, mas tens sempre uma linha lógica nos textos. O que é um pouco contraditório. Mas muito interessante.

David Pires disse...

É assim mesmo que escrevo. Isto foi escrito nuns 5 minutos sem pensar muito, é mais fácil :D
Depois logo faço uma correcção ou outra

martolas disse...

é bom escrever assim, não é?
(e, já agora, estás bem? passei a correr no fb, a hungria é linda, uma tipa mesmo bacana)

David Pires disse...

martolas, é a melhor forma de escrever, para mim.
(estou bem, ainda bem que isso é bom! :) eu depois logo digo alguma coisa)