sexta-feira, 29 de julho de 2011

Emancipadas

     Queria falar mal de pessoas, mas não posso porque depois parece que é para outras, e as outras ficam na duvida se é para elas, e as que realmente são nunca ficam a saber. É muita coisa para a minha cabeça. Quando souber que já não vou precisar de amigos ou conhecidos (porque nesta vida só se vence se tivermos muitos conhecidos para votarem em nós em concursos do facebook), começo a espalhar coisas sobre as pessoas, mas sem me preocupar em limpar os rastos, quero que depois me venham pedir esclarecimentos. Vou ser uma pessoa limpa, e mais saudável. 
     Por acaso agora não me lembro de nada muito especifico para falar mal. Mas às vezes acordo ao meio da noite cheio de ideias (sim, eu durante a noite ando a congeminar), mas de manhã nunca me parecem grande coisa e têm pouco fundamento e sem bases fortes para que não possa ser desmentido. Eu só publico quando tenho tudo certinho, não há cá teorias, é tudo factos. Sou uma pessoa séria (apesar de pensarem o contrário).
      Então e birras na Internet? Isso sim é giro, devia aparecer na TVI. Tenho que criar um blog em que faço de machista e começar a atacar os blogs das mulheres que se acham muito emancipadas. Um dia quando não tiver vida.  

5 comentários:

ana disse...

"sim, eu durante a noite ando a congeminar", achei piada x) Não percebo o que se passou pela blogosfera, porque não tenho estado muito presente. Mas se é disso que estás a falar (porque já li algures que houve problemas), ainda fiquei mais curiosa :b

Xana disse...

Não sei mesmo como ainda não deu notícia na TVI...
Btw, gostava que as minhas noites fossem assim cheias de ideias :P

Catarina disse...

dá-lhe david, mas só quando não tiveres vida! :p

Metropolitana disse...

Engraçado, eu também tenho as minhas melhoras ideias à noite. É estúpido porque, na maior parte dos dias em que eu preciso mesmo de inspiração não a tenho. Nervos!

Estamos numa sociedade que está completamente anestesiada e, com isso, as pessoas não sabem o que andam a fazer nesta vida. Tentam ser pessoas por ter imensos amigos no facebook que, apesar de não conhecerem mandam mensagens do tipo "Preciso da tua ajuda. Vai a este link e clica em gosto". OMG.

Sou daquele tipo de pessoas que amigos, contam-se pelos dedos. Ou melhor, por nenhum deles. As pessoas que eu achava serem minhas amigas após terem entrado numa universidade fora da cidade natal tornaram-se completas estranhas. Não por mim, por elas.

As pessoas, hoje em dia, não sabem abrir a boca para dizer algo que seja (não que eu esteja a dizer que sei). Falam por falar, discutem por discutir mas se for preciso não sabem dar um argumento válido que seja difícil de contrariar. É assim a vida. MAs não devia ser. Somos cidadãos burros que apenas dizem "Vamos lá para fora fazer revolução" mas ainda não se viu nada.

David Pires disse...

ana, eu nem sei como vou lá parar, eu não ligo nada a isso.

Xana, noites com ideias podem ser frustrantes, tem cuidado :)

Catarina, eu sei quando vou deixar de ter vida, eu tenho uma tão espectacular...

Metropolitana, falas de coisas giras. :) As pessoas tem muito que se lhe diga. Mas as coisas vão ter de mudar um dia...