domingo, 26 de junho de 2011

Esquecer

     Será possível esquecer uma pessoa para sempre? Apagar tudo de alguém? Sei que não há nada como "eternal sunshine of the spotless mind", mas deve ser possível, com o tempo, deixar de pensar nas coisas que foram.
      Mas por outro lado não sei de devemos apagar as pessoas da nossa vida. De que serve deitar tudo fora que está relacionado com essa pessoa? Apagar fotos? As pessoas não estão nisso, a nossa memória não deixa as coisas serem como nós queremos, a mais pequena coisa faz lembrar outros, por isso não me digam que há coisas que se esquece. Há locais comuns, há sabores, sons e cheiros. Eu não consigo esquecer. Mas consigo mudar.
     Nunca tentei esquecer ninguém, provavelmente devia ter feito isso nalguns momentos, mas nunca fui disso. Acredito que as coisas devem acontecer naturalmente, mesmo as que doem. Com isto não digo que se deva agarrar ao passado, isso é pior que esquecer. Há um meio termo, que não é assim tão difícil de atingir. Se eu consigo é porque não há assim tanta dificuldade. 

10 comentários:

ana disse...

Não se consegue esquecer ninguém completamente. Bom ou mau, é assim.

David Pires disse...

Pois completamente não. Mas dá para esquecer até ao ponto de quase não existir.

ana disse...

Sim, acho que até ao ponto de se tornar indiferente. De qualquer modo acho que ninguém precisa de esquecer completamente alguém.

aryabodhisattva disse...

(Antes de continuar... estamos a falar de pessoas com quem se esteve romanticamente envolvido, certo? Porque eu não conheço outro tipo de "esquecimento"... Ou necessidade dele.)
Bem, sempre me esforcei por esquecer as pessoas effective immediately. Por despeito, na realidade. Por muito que as histórias tenham sido insignificantes e/ou ninguém me tenha realmente prejudicado, sempre me considerei vitimizada e injustiçada. Logo, o comportamento que assumi foi: "vê quão bem vivo sem ti, vê que pouco peso tens na minha vida". Faço isso desde os 5 anos.
Se pudesse voltar atrás, auscultaria os meus sentimentos e agiria de acordo com eles. Forçar os acontecimentos deixa um sabor amargo na boca, mesmo passado anos (e anos). Não há nada de "patético" em recordar ou lamentar. Devia ter-me permitido ao que na altura considerava "fraquezas". Hoje em dia sentir-me-ia melhor em relação a certas situações.

Bom, não sei se respondi directamente ao post. 'Esculpai esta divagação.

Catarina disse...

Não se consegue esquecer ninguém, quanto muito o que acontece é a tua memória ficar fanada ao longo do tempo uma vez que os teus belos neurónios não têm o dom de se multiplicar. Mas esquecer? Não se esquece ninguém! Muito menos pessoas que nos marcam! A não ser que haja razões patológicas, sejam elas de índole física ou psicológica!

David Pires disse...

ana, sim, precisar é ridículo.

aryabodhisattva, quando comcei a escrever não era sobre romanticamente envolvido, depois talvez tenha ficado.
Há uma coisa que parece que tenho diferente de ti, que eu é raro achar-me injustiçado. Normalmente tento perceber o que fiz de mal (sim, porque a culpa a minha). Mas com o tempo comecei a notar que ninguém sabe, não querem saber, ou só pensam nelas mesmas. Por isso tomei a atitude do "quão bem eu vivo", mas é por mim, não para mostrar a alguém.
Força com as divagações.

Catarina, A nossa memória fica fanada quando só recorda é as coisas boas, coisa que me irrita profundamente. Acho que nos faz duvidar das decisões. Mas não se esquece.

Catarina disse...

Com a velhice vais ver como esqueces... E claro ainda existem as patologias que provocam falhas de memória graves!

Em relação às coisas boas, sim, isso também me irrita muito, recordamos mais facilmente as coisas más do que as coisas boas... Isso sim é uma coisa que tal como a ti, me irrita profundamente!

David Pires disse...

Eu não queria esquecer nada. Eu preciso de lembrar tudo. Já sei que estou lixado :)

Catarina disse...

Sobretudo os "podres das pessoas para poder gozar com elas mais tarde."... Muito Bom o teu questionário, não é mania, tens mesmo piada q.b.p. eu te ler :)

David Pires disse...

"piada q.b.p. eu te ler" isto chega para mim :)