sexta-feira, 10 de junho de 2011

Digam

Ando a receber sinais cósmicos, ou de outra natureza estranha qualquer, constantemente. Principalmente no ultimo mês. Mas não consigo interpretar, está difícil perceber porque é que tudo o que eu planeio, ou tento planear não acontece. Tenho de resolver sempre o inesperado, e já está a ser difícil, às vezes. Se calhar não devia resolver nada e esperar que o universo acalme e apenas assistir (sentado) ao desenrolar das coisas. A minha sorte é que não ligo nada a sinais (devia?), acho que o poder está todo nas nossas mãos. Claro que eu não estou a conseguir fazer nada porque estou sempre a ser atrasado ou puxado por outra coisa qualquer. Deve ser só azar. Não vou planear nada para mim no próximo mês, mas posso planear as vossas coisas. Digam.   

9 comentários:

ana disse...

200 e tal páginas de estudo, sem contar com o tempo de fazer exercícios, até quarta. Planeia-me láa, que eu estou um bocado à nora x)

Rata disse...

Eu quero que me resolvas a jogada no euromilhões.

Rata disse...

Quero que me planeies as férias. Não! As férias não, que vão ser todas inesperadas (espero eu).
Amm... ok, podes planear-me as férias. Eu deixo.

David Pires disse...

ana: estudos? Isso está fora da minha área de acção.

Rata: euromilhões já não posso fazer. Férias preciso de saber muitas variáveis

António Rocha disse...

Já não lia o teu blog há uns tempos, mas ainda bem que cá vim...

Gosto mesmo de ler estes teus pensamentos, fazem-me pensar também... e rir, por vezes :p

Acho que é uma óptima forma de te expressares, já que o David que eu conheço não partilha facilmente os seus pensamentos ;)

Continua o bom "trabalho", tens aqui um seguidor interessado :)

Abraço

Rata disse...

(viagens, viagens e viagens)

David Pires disse...

És sempre bem vindo cá a este sitio. Mas tens razão não partilho muito não, sou parco em palavras.
Vai dizendo coisas.
Abraço!! :)

€%$@ disse...

Só sei interpretar os sinais de trânsito :(

Mais a sério, não acredito quando me dizem aquela coisa do "fiz isto porque tive um sinal que era isto que devia fazer". Porquê? A interpretação que fazemos de "um sinal" é influenciada (e acho até que é directamente proporcional) pela nossa pré-disposição para o fazer, pela nossa vontade e pelo nosso querer.

David Pires disse...

Sim, essas pessoas interpretam o sinais da maneira que querem fazer as coisas. Normalmente é assim, não queremos aceitar um sinal que é contra uma coisa que queremos fazer muito, mas sim aqueles que nos dizem para fazer coisas que queremos fazer, mas não devemos.