quarta-feira, 16 de março de 2011

Mix

     Eu encontro mais gente conhecida na rua em Lisboa do que quando ando no Algarve e conheço toda a gente que por lá vive (pelo menos é a ideia que as outras pessoas têm, já que me pergunta sempre se não conheço uma amiga que vive em Portimão). Mas também no Algarve está tudo sempre fechado em casa. 
     Sabiam que eu fujo das pessoas conhecidas? Se não sabiam, já sabem porque é que nunca me encontraram na rua, porque eu fugi quando reparei quem vinha lá. Se me encontraram na rua é porque eu estava distraído, ou é porque eu pensei que me ia conseguir safar rapidamente (fico tão feliz quando consigo). Sabem qual é o truque? É cumprimentar em andamento, quando é uma rapariga o segundo beijinho já é no ar, comigo a dois metros.
     "Este gajo é mesmo desagradável" estão vocês a pensar. Primeiro: tirem lá o gajo dessa frase. Segundo: sou sim. Mas hoje encontrei duas pessoas na rua e passei o resto da tarde com elas, coitadas. Elas que bem me tentavam mandar embora, mas eu melga, não largava. Para a próxima não convidem! Eu agora estou a dizer "sim" a muita coisa, não me convidem para ir ao Loft por favor.
     Bem vou ver Californication e comer Chipmix. Não me julguem.

6 comentários:

ana disse...

Alinhava nesse programa xD

David Pires disse...

Eu acho que é um bom programa (se estamos a falar da serie e das bolachas). Uma rapariga que gosta de Californication :)

ana disse...

Ah, pois gosto, e acho que não é assim estranho, ou é? Lol. E sim, estava a falar das duas coisas.

David Pires disse...

Não sei se é estranho, mas eu acho que não conheço nenhuma rapariga que vê, é só isso.

Rekoa Meton disse...

Partilho da vontade de fugir de pessoas conhecidas na rua. Não percebo exactamente as razões deste meu comportamento um bocadinho psicótico; por acaso tens algumas?

David Pires disse...

Eu acho que deve ser o comportamento certo. Acho que a razão principal não o por não gostar das pessoas, ou ter alguma coisa contra elas, é mais para fugir à monotonia da possível conversa que se iria dar (ou não dar, já que não sei se será conversa).