quinta-feira, 24 de março de 2011

Erro

     Hoje estava a percorrer o meu caderno e encontrei um texto não publicado, mas se calhar já não faz muito sentido. Mas aqui vai disto.

     Dos erros podem sair coisas boas? De certeza que ao longo da história da humanidade isso já aconteceu, e provavelmente até deram em coisas mesmo boas. Eu costumo pensar que só depois do erro é que somos totalmente livres, só depois de percebermos que o mal está feito e que não há volta a dar, é que nos conseguimos deixar ir. A partir dai só há duas hipóteses, ou continuamos a fazer borrada até que destruímos completamente aquilo que já foi, ou continuamos a fazer as coisas sem nos preocuparmos se estamos a fazer erros ou não e acabamos por atingir algo de bom que normalmente nunca teria surgido sem o primeiro erro.
     Podem pensar em arte por exemplo. Na ciência já é mais difícil, mas também deve ser possível. E claro que, como em quase tudo, os erros são subjectivos. Nós vivemos num mundo subjectivo, onde há sempre gente a tentar torna-lo objectivo, tipo eu. Mas cabo sempre por me surpreender. 

     Isto deve ter para ai duas semanas, pelas coisas que estão à frente. 

2 comentários:

ana disse...

Gostei muito do texto. E disseste uma coisa que considero ser bem verdade: "(...) só depois do erro é que somos totalmente livres, só depois de percebermos que o mal está feito e que não há volta a dar, é que nos conseguimos deixar ir."

David Pires disse...

Obrigado Ana :)
Esse frase foi a primeira a ser escrita (na minha mente) depois o texto foi feito a volta dela.