sábado, 11 de dezembro de 2010

Algarve

Cada vez o Algarve me parece mais estranho. Cada vez sinto menos que pertenço aqui. Não digo que pertença a Lisboa, mas o Algarve cada vez parece mais distante e incapaz de me surpreender. Com isto não quero dizer que não tenho saudades das pessoas de cá, família e amigos (só para os amigos não dizerem que só disse família), claro que tenho saudades. Mas já só venho mesmo pela minha mãe e pelo meu pai. Se calhar estou a ser um bocado duro, e amanhã já não penso nada disto, mas quando cheguei cá, entrei no carro da minha mãe e comecei a olhar à volta enquanto percorríamos o caminho até casa é que percebi que o Algarve está sozinho. Não há ninguém, não há nada, com muita pena minha.

Lembro-e quando fui para Lisboa toda a gente me dizia que "aquilo" ia ser giro no inicio, mas passado uns meses ia ter muitas saudades do Algarve e da vida fácil ou contrário de Lisboa. Claro que eu duvidava. Nunca cheguei a ter saudades da minha vida no Algarve (até agora), adoro Lisboa, sinto me feliz em Lisboa (também o curso em que estou faz-me ser um bocado mais livre do que alguns dos meus amigos que também foram para Lisboa), identifico-me e não tenho medo de nada.
Sei que no Verão foi bom estar no Algarve, sair com os amigos, passear por todo lado, ar fresco, e até pensei que ia ser nessa altura que ia ser difícil voltar para Lisboa, que ia sentir a diferença. Claro que senti a diferença, muito mais do que no primeiro ano (era novidade weeeee), mas Lisboa tem os seus encantos que não me fizeram pensar segunda vez. Cada vez gosto mais de lá estar.

Mas também não acredito que Lisboa seja o meu destino. O meu local para sempre (nada é para sempre eu sei). Claro que vou ter sempre (lá está esta palavra) saudades do Algarve, e espero um dia ter saudades de Lisboa.

5 comentários:

Kat - カティア disse...

Lisboa encanta qualquer um.
Nunca vivi no Algarve, mas as coisas que temos aqui em Lisboa não trocava por nada. Ok, trocava por Tokyo, mas isso é outra conversa =)

humming disse...

Também fui para Lisboa quando entrei para a faculdade; nasci e cresci em Leiria.
Gosto de Lisboa às horas e dias em que não há gente. Nas outras alturas é uma cidade demasiado saturada, muito cheia, muito intransitável, onde quase nada funciona. Tem vantagens, mas este ano saí de Lisboa e foi bom. Tenho saudades de algumas coisas, mas espero não voltar. Morei na Bica e em Alfama, aproveitei bem. Foi bom, mas chegou. Neste momento moro numa praia. Estou a fazer um ano de pausa, para o ano a ver se saio de Portugal.

David Pires disse...

Kat: Lisboa não pode encantar para sempre, pelo menos a mim, que cada vez conheço melhor (melhor que algumas pessoas que lá vivem).
Gostava de ir a Tokio, mas não é sitio para eu viver.

humming: já fui muito feliz em leiria :D
eu por acaso adoro gente em Lisboa, mas é quando não tenho nada para fazer, e posso só observar. Moraste mesmo em Lisboa, que é uma coisa boa, muito gente não aproveita a cidade ao máximo por viver tipo em Benfica (não é o meu caso).
Um dia também quero sair de Portugal (não digas nada à minha mãe) :D
Um à parte: humming tem alguma coisa a ver com os Portishead? :)

humming disse...

:D TEM! Passados não sei quantos anos (porque criei o mail antes do blog) alguém me pergunta isto! David Pires, tu és grande, com certeza. Sim, tem a ver com os Portishead. O meu nome é demasiado comum, então decidi arranjar um nick qualquer que me desse jeito usar para a posterioridade. Então vai de estar a ouvir Portishead e pus-me a meter nomes das músicas. Como acho piada ao significado de "humming" e porque, com imaginação, metade da palavra é quase igual à outra metade mas de pernas para o ar, como gostava da música, ficou "humming". Até hoje toda a gente pensou que era por causa do beija-flor (hummingbird). Pronto, és perpicaz. Só te fica bem. :)

David Pires disse...

AH! que giro. obrigado pela parte que me toca. :)
Já tinha pensado nisso no outro dia, mas não perguntei logo não sei porquê, acho que foi porque não havia razão para isso. E pensem também nisso da imaginação, virado ao contrário e tal.
Tive um feeling que eras Portishead kind.
Acho que fica bem :D