sábado, 14 de maio de 2011

Pertença

     O sentimento de pertença é terrível para a formação de identidades, e cada vez mais se faz, e sem pensar que se está a fazer. Gostar por gostar, criticar por criticar. A formação de opiniões já não é, ou se calhar nunca foi, alheia à opinião dos que nos rodeiam. Todos querem ler as criticas para formar uma opinião, todos querem saber as bandas, filmes ou livros preferidos de não sei quem, para ser os seus também. Para festejar quando a banda preferida do não sei quantos vem tocar a Portugal, ou detestar a ultimo filme do Woody Allen e dizer que ele já não é o que era só porque leu numa revista, apesar de até ter gostado do filme.
     Há pessoas que só por me dizerem os filmes favoritos, eu já sei as bandas e os livros. Se gosta de ler, ou se gosta de filmes de acção, e a partir dai saber qual a música que gosta. Sei que agora já estou a entrar numa espécie de critica a tribos urbanas, mas não tenho nada contra estas, nem contra aqueles que as imitam (se calhar um bocadinho, raio dos fakers!). Mas passa-se qualquer coisa de diferente que devia ser analisado. O mundo anda baseado nos gostos pessoais de 50 pessoas que nos dizem o que é bom ou mau, até ser alternativo, já não o é. Ser alternativo já é estar dentro de uns gostos base que depois pode diferenciar nalguns aspectos, mas a base está lá toda.
     Eu sei que não estão a pensar nos exemplos certos, mas eu também não os vou dar, porque quem está a pensar que eu tenho razão, são os princiais alvos disto que escrevo, eu já os conheço. Até eu às vezes caio na tentação. Não escolher o que se gosta é bem mais fácil para nos integramos, e sentirmos que pertencemos a algo único.

3 comentários:

ana disse...

Olha eu acho que tens razão, isso é assim muito mau? x) Mas se há coisa que nunca fiz foi dizer que gostava de alguma coisa só para me integrar. Se calhar por isso é que naquelas idades em que o que interessa é gostarem todos do mesmo, eu nunca fui propriamente a primeira escolha de ninguém para ir a algum sítio ou assim. Oh bolas.

ana disse...

Olha eu acho que tens razão, isso é assim muito mau? x) Chamam-se pseudo-intelectuais, acho eu. Mas se há coisa que nunca fiz foi dizer que gostava de alguma coisa para me integrar(em). Se calhar por isso é que naquelas idades em que o que interessa é gostarem todos do mesmo, eu nunca fui propriamente a primeira escolha de ninguém para ir a algum sítio ou assim. Oh bolas.

David Pires disse...

Não era de ti que falava, que não conheço para saber :)
Mas toda a gente acha que nunca fez nada para se integrar, mas não sei, eu sou um bocado critico demais.