quarta-feira, 20 de abril de 2011

Papel

     Ando a tratar de tanta papelada nos últimos dias. Já não posso ver papel. O ser humano ainda se baseia muito no papel para tudo. É papel para coisas da escola para assuntos burocráticos, é papel com coisas de disciplinas, é papel com coisas de médicos, é papel para erasmus, é papel com guiões, é papel com mails, é papel com bilhetes para viagens, e ainda há papel com coisas que não interessam nada.
     Ontem pensei que não podia ver mais aquele papel todo e peguei num dossier e comecei a furar folhas e a meter lá para dentro. Foi um alivio brutal apesar de ainda ter muita coisa de fora que não podia ser arrumada.
     Eu no fim do ano acabo por deitar dois terços de tudo fora. Há ali coisas que só servem para o momento, é raro haver papel que falha para a posteridade.
   Claro que papel foi o que mais veio comigo para o Algarve. Papel!

10 comentários:

Catarina disse...

eu gosto muito de papel.
de fazer as coisas no papel.

David Pires disse...

Ah fazer coisas no papel... Pois. Isso é diferente.

Morce disse...

Papel? Qual Papel?

David Pires disse...

Boa Morce :)

ana disse...

Nunca vi tanto papel num só post x)

David Pires disse...

E é um texto na net

martolas disse...

"vamos informatizar, acabar com o papel. mas antes vamos tirar uma fotocópia."

David Pires disse...

É, o mundo é uma burocracia de papelada num era digital

ana disse...

Até me esqueci de dizer que depois de ler este teu post fiquei cheia de sede com a impressão de que tinha acabado de comer papel x)

David Pires disse...

15 vezes foi dito papel ou derivados. :) se calhar foi papel a mais ana, tens razão